CHUVA E A CONDUÇÃO CORRETA

Imprimir

Hoje dia 17/01/2015, é o Dia dos Tribunais de Contas do Brasil, Dia de Santa Leonina, Dia de Santo Antão, Dia de São Mariano.

Estamos em pleno verão e é comum depararmos com a chuva em determinados trechos e em outros, sem chuva e com sol.

 

Um ponto importante para o condutor não ser surpreendido com a má qualidade da limpeza dos vidros efetuada pelo mecanismo existente no veículo para este fim, é estar sempre com a manutenção em dia.

 

Um par de palhetas do limpador de para-brisas tem a vida útil de um ano ou mais dependendo da região em que se vive, por causa das condições climáticas. Examinar sempre o nível do reservatório de água do lavador do para-brisas para auxiliar na retirada da lama ou óleo que vem do veículo que está à sua frente.

Para se ter uma limpeza eficiente, é recomendável adicionar, no reservatório de água, um produto adequado para esse fim. É comum as pessoas adicionarem detergente de cozinha. Não se deve fazer isso porque danifica a pintura, ressecam as borrachas das palhetas e por causa da variação muito grande da temperatura onde está localizado o reservatório, forma-se uma borra que entupirá todo o sistema que deixará de funcionar na hora em que mais precisamos dela, na chuva.

Para os carros equipados com condicionador de ar, o problema do embaçamento não existe desde que o condutor ligue o dispositivo regulando a temperatura ambiente. Para aqueles que não dispõem desse recurso, é recomendado abrir as janelas o máximo que puder sem que molhe o interior do veículo já que assim o ar circula e evita que os vidros fiquem embaçados.

Limpar sempre os vidros por dentro, pois com o calor e a transpiração das pessoas o vidro tende a ficar engordurado colaborando para o embaçamento e dificultando a limpeza, mesmo com pano próprio para isso. Não passe a mão no vidro embaçado.

“Dicas da Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo
- Reduza a velocidade;
-Mantenha sempre a distância de segurança do carro à frente;
- Ultrapasse com cuidado;
- Nunca use farol alto em locais com neblina. O reflexo da luz vai ofuscá-lo e você enxergará menos.
- Nunca use o pisca alerta com o carro em movimento. O motorista de trás pensará que o veículo está parado, tentará desviar e poderá provocar um acidente.
- Verifique se a ventilação interna está funcionando. Caso contrário, mantenha aberta uma janela de modo a evitar o embaçamento interno dos vidros.
- Use limpador de para-brisa, desembaçador e lavador de vidros. Não passe a mão no vidro.
- Reduza ou apague as luzes do painel. Elas distraem e diminuem a visão.
- Evite freadas bruscas. O chão poderá estar escorregadio, ocasionando riscos de colisão traseira.
- Não pare na pista. De preferência, não pare nem no acostamento, procure um ponto de apoio.
- Se a neblina for muito espessa, procure um local seguro para parar, por exemplo: postos de serviço ou uma Base da Polícia Militar Rodoviária.
- Se precisar parar na rodovia, ligue o pisca alerta, sinalize 100 m antes e tire todos do carro, mesmo que esteja frio ou chovendo, permanecendo em local seguro”.

Quando deparar com chuva, reduza consideravelmente a velocidade, pois logo que começa a chover, a pista asfáltica ainda está muito empoeirada e com resíduos de graxa e óleo deixado pelos veículos. Essa poeira e esses resíduos forma uma verdadeira camada de lama bastante escorregadia facilitando derrapagens.

A mistura de chuva com pneus muito gastos são fatais. Mistura para quem não tem amor à própria vida e colocando a dos outros em risco. Os sulcos dos pneus são responsáveis pela drenagem da água garantindo a aderência e evitando a famosa aquaplanagem.

Lembrem-se: pneus com sulcos abaixo de 1,6mm também pode gerar multa. Então, todo cuidado é pouco e façam uma verificação minuciosa antes de transitar pelas rodovias.

www.naganuma.com.br      Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.        Twitter - @mtnaganuma